Escapada ao Lago de Ohrid, na Macedónia

Um dos lagos mais antigos do mundo tornou-se a mais recente escapada secreta da Europa, repleto de montanhas, história e magia. É o Lago Ohrid por Lyn Hughes.

 

«Eu estou aqui há pelo menos 200 anos! Bem, eu não, mas a minha família sim», disse o barqueiro, «Esta é uma das cidades mais antigas da Europa». Estávamos a passar pela cidade antiga de Ohrid, com os seus restaurantes e bares à beira do lago, e então a marginal de madeira – o local mais icónico da Macedónia – apareceu.

Se alguma vez viu uma imagem da República da Macedónia, seja consciente ou inconscientemente, quase certamente será da pequena e fofa igreja de São Jovan Kaneo (foto de capa), empoleirada no topo de um penhasco, com o brilho cerúleo do Lago Ohrid a cintilar por trás. E ainda assim relativamente poucos encontram o caminho para estas águas antigas.

A cidade e fortaleza vistas do Lago

O Lago Ohrid é um dos mais antigos do mundo, quase certamente o mais antigo da Europa, e entre os mais profundos também. Não surpreende, assim, que tenha uma história rica e que seja um local Património Mundial da UNESCO, juntamente com a magnífica cidade de Ohrid. Aqui pode encontrar igrejas em abundância (acredita-se que Ohrid já teve 365, uma para cada dia do ano), bem como uma fortaleza medieval, um teatro romano, arquitetura otomana e belas ruas empedradas.

Ao redor do lago, uma aldeia da Idade do Bronze foi reconstruída, enquanto as igrejas escavadas na rocha e o antigo mosteiro de São Naum lembram como, no final do século IX, Ohrid era considerado um importante centro de religião, alfabetização e cultura eslava.

Mas também há maravilhas naturais aqui. O lago não é apenas lindamente enquadrado por colinas e montanhas, também é o que contem maior biodiversidade do mundo para o seu tamanho. As suas profundezas contêm várias espécies de peixes, incluindo a truta endémica de Ohrid de carne rosa. Uma das duas espécies de truta encontradas no lago já foi severamente ameaçada, mas os números recuperaram o suficiente para que a possa comer nos restaurantes da cidade sem nenhuma culpa. Outro peixe, chamado plasica, tem escamas que podem ser transformadas em belas «pérolas» – uma técnica conhecida apenas por duas famílias locais, que guardam zelosamente o segredo de como o processo é feito.

Vista da cidade e Lago de Ohrid numa manhã nublada

 

Sem costa, este é o litoral da Macedónia. Restaurantes e cafés enchem a margem do lago, servindo peixe local regado com refrescante rosé, também local. Há bares de praia e discotecas para quem quiser, enquanto que os amantes da cultura podem experimentar alguns dos melhores músicos do mundo no Festival de Verão de Ohrid.

No auge do verão os veraneantes aglomeram-se nas pequenas praias, enquanto os mais ativos mergulham ou passeiam de caiaque. Os aventureiros encontrarão muito que fazer em terra também, com a montanha Galicica e o Parque Nacional à sua porta. Caminhadas, parapente, espeleologia e muito mais actividades podem ser feitas a partir da cidade.

O forte do Tsar (Rei) Samoil com a bandeira da Macedónia. Por trás a parte nova da cidade.

 

Primeiro dia: ao redor da cidade

Dê um passeio pelas ruas estreitas e becos da cidade velha, subindo o caminho para o teatro romano de 2000 anos de idade. Tome um macchiato com vista para o teatro na varanda do 1º andar do simpático restaurante Gladiator, antes de subir à Fortaleza de Tsar Samoil. A partir daqui a caminhada é curta até à igreja de São Kliment em Plaosnik, construída sobre as ruínas de uma basílica do século V e do local da primeira universidade da Europa. Uma nova universidade está a ser construída na zona.

Casa típica da zona histórica de Ohrid

Um passeio encosta abaixo leva-o pelos pinheiros até à vista mais fotografada da Macedónia, a Igreja São Jovan Kaneo localizada num ambiente lindíssimo. Uns degraus mais a baixo e está à beira do lago, onde pode parar para almoçar nas esplanadas dos restaurantes Kaj Kanevche ou Kaneo (e dar um mergulho rápido enquanto espera ser servido). Depois, siga o calçadão de volta à cidade, desviando para a adorável Igreja de Santa Sofia, se não a visitou no caminho, antes de visitar as lojas para artesanato tradicional e «pérolas» de Ohrid.

Vista da Igreja de Sveti Jovan Kaneo

A serenidade que o Lago transmite

De volta ao centro, caminhe até ao “çinar” de 900 anos e explore a antiga parte turca da cidade. Será mimado pela escolha para o jantar, com opções tradicionais em abundância, bem como as inevitáveis ​​pizzarias. Depois da comida, relaxe num dos bares nocturnos, como o Jazz Inn, ou o Duck Café, para um pouco de soul, jazz ou blues.

Segundo dia: Explore o lago

Faça um passeio de barco ou de táxi aquático para se deslocar pelo lago – provavelmente será abordado por barqueiros com chapéus de capitão assim que se aproximar do porto.

O Mosteiro de Sveti Naum (São Naum)

 

Um serviço de barco diário corre para o belo Mosteiro de São Naum, perto da fronteira albanesa, levando uma hora e meia em cada sentido. Ou contrate um táxi para levá-lo (30 minutos), eles normalmente esperam para trazê-lo de volta. A igreja, que foi construída sobre o túmulo de São Naum, fica no que é agora um hotel. Coloque o seu ouvido no túmulo para ouvir os batimentos cardíacos de Sao Naum. Desça a estrada para fazer um sereno passeio de barco a remo pelas nascentes que levam a água do Lago Prespa para o Lago Ohrid. O Restaurante Ostrovo, com vista para as fontes, oferece especialidades tradicionais da Macedónia.

Vista do Lago e cidade de Ohrid, Património Mundial da Humanidade

No caminho para, ou de, Naum, pare na Baía dos Ossos, uma aldeia reconstruída da Idade do Bronze. Também é possível mergulhar! Como alternativa, apanhe um táxi (ou táxi barco) para o outro lado do lago para visitar Struga, a segunda maior cidade na margem no lago, e as aldeias de pescadores de Radozda e Kalista e as suas igrejas nas grutas. Ou se o que quer fazer é apenas relaxar, apanhe um táxi aquático para o Cuba Libre Beach & Bar para cocktails a bom preço e bom ambiente.

 

Terceiro dia: sobre a montanha

Lago Prespa (Foto: Simon Chubb)

 

O Parque Nacional Galicica, o menor dos três parques da Macedónia, faz fronteira com o lado leste do lago. Várias agências localizadas em Ohrid podem organizar passeios de bicicleta, trekking, 4x4, e viagens de parapente. Há também um pico a partir do qual se podem ver os lagos Ohrid e Prespa simultaneamente, mas as vistas de ambos os lagos também são magníficas da estrada sinuosa que percorre toda a montanha.

 

A vista do Parque de Galicica para o Lago de Ohrid

O Lago Prespa é mais raso e silencioso que o Lago Ohrid, sendo partilhado também pela Grécia e Albânia. Centenas de pares de pelicanos dálmatas e cormorões-pigmeus coabitam o lago e os seus canaviais, para além de numerosas outras aves.

Faça uma viagem de barco para o Golem Grad de Prespa. Apesar do seu tamanho diminuto, o nome da ilha desabitada significa «grande fortaleza» e já foi um importante centro cultural do qual pouco se sabe agora. A ilha em si é coberta de rica vegetação e pontilhada de locais romanos e cristãos primitivos, além de centenas de tartarugas. Também é conhecida como «Snake Island», devido ao grande número de serpentes de água inofensivas que lá habitam, que pode ser capaz de detectar quando voltar ao barco.

Vista nocturna da cidade e Lago de Ohrid

Informação essencial

Quando ir: Há uma série de festivais de verão, incluindo o Ohrid Summer Festival (de meados de julho a meados de agosto), que tem música clássica e peças de teatro. A cidade está lotada durante este período. A primavera e o outono são lindos, tranquilos e baratos.

Como chegar: Ohrid tem o seu próprio aeroporto com vários vôos internacionais, especialmente no verão, mas não deixa de ser um aeroporto pequeno e mal servido…. Dificilmente esta será a melhor opção. Caso contrário, o acesso é feito pela capital Skopje (três horas de autocarro, menos de táxi, que custará cerca de 100€). Do Reino Unido, a Wizz Air voa duas vezes por semana (sexta e segunda-feira) de Londres Luton para Ohrid (3 horas). A mesma empresa também voa cinco vezes por semana para Skopje (3 horas).

Como se deslocar: A cidade velha é facilmente alcançável (embora montanhosa). Passeios de barco e táxis aquáticos estão disponíveis a partir do porto.

Onde ficar: São Naum, no extremo sul do lago (perto da fronteira da Albânia), tem muita gente durante o dia, mas menos à noite. Uma estadia no mosteiro convertido Hotel St Naum é uma experiência única. O Hotel City Palace, com 20 quartos, está bem situado ao longo do cais, a poucos minutos do porto e da cidade velha, e possui quartos com vista para o lago (alguns com janelas do chão ao tecto). A cidade velha oferece muitas pequenas pousadas: a Villa Mal Sveti Kliment tem oito quartos, incluindo uma suíte no último andar. A Vila Rustica tem vista para o lago de todos os quartos, um proprietário amigável e kitchenettes.

Onde comer: Escolha não vai faltar! Opções confiáveis ​​incluem o restaurante Antiko, numa mansão de 230 anos de idade, e o Gladiator, com vista para o Teatro Romano, bem como Kaneo ou Kaj Kanevche – ambos no calçadão abaixo da Igreja São Jovan.

Mais informações: www.ohrid.com.mk/

Contacte a Into the Balkans para organizarmos a sua viagem ao Lago Ohrid e Macedónia!!

 

In: https://www.wanderlust.co.uk/content/short-break-in-lake-ohrid/

Tradução: Into the Balkans

Este sitio es propiedad de la empresa Talas Travel, agencia de viajes nº 33/2015, de derecho serbio.

Diseño: Joana Figueiredo | Desarrollado por: Sites Sem Espinhas | Copyright: Into The Balkans

Suscríbete a nuestro boletín de noticias y gana 50 € de descuento en el siguiente viaje

Gracias por su inscripción.

Pin It on Pinterest

Share This